domingo, 21 de janeiro de 2018

Prêmio Maestro Guerra-Peixe elege os melhores da cultura de 2017


O Museu do Artesanato, do artista plástico Cocco Barçante, está entre os indicados

Principal prêmio de cultura do interior do estado, o Prêmio Maestro Guerra-Peixe chega à sua nona edição e contempla os petropolitanos ou moradores da cidade que mais se destacaram na área em 2017. São onze categorias envolvidas que cercam todos os principais segmentos artísticos e culturais de Petrópolis. Como tradição, a solenidade de entrega, organizada pela prefeitura através do Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE), acontece no dia 18 de março. A data escolhida presta uma homenagem ao patrono da premiação, o maestro, compositor e arranjador César Guerra-Peixe.

Um dos momentos mais emocionantes da solenidade de entrega ocorre na apresentação da “Janela para a saudade”, peça audiovisual que projeta uma pequena lembrança dos agentes culturais que faleceram no ano de apuração.

A comissão julgadora foi formada pelos seguintes integrantes: André Sampaio (bailarino, ator e professor); Arthur Varella (ator, artista plástico, cenógrafo e carnavalesco – superintendente de cultura do Instituto Municipal de Cultura e Esportes); Calebe Pimental (videomaker e produtor cultural); Marcelo Fernandes (escritor, professor - gerente do Centro de Cultura Raul de Leoni); Mônica Winter (jornalista e radialista); Natália Karl (escritora); Renata Garcia (atriz e produtora Cultural); Paulo Campinho (artista plástico e restaurador) e Rodolfo Medeiros (ator, diretor e produtor cultural).

Confira a lista dos indicados:
I.          Música Popular – Felipe Depoli (Atuação 2017); João Felipe (Contrastes); Tokaia (Atuação 2017); Yuri Garrido (Atuação 2017).
II.         Música Erudita – Ana Hanickel, Frederico de Oliveira e Diego Fortes (Célebres árias de ópera); Anima e Cuore (Concerto da Páscoa); Coral dos Canarinhos (Concerto 500 anos da reforma Protestante); Orquestra Ação Social pela Música (Atuação 2017).
III.        Teatro – Márcio Negócio (direção de (R)existir); Sylvio Costa Filho (Atuação em “A inconveniência de ter coragem); Márcio Negócio (Trilha sonora de “A inconveniência de ter coragem).
IV.       Dança – Analu Muniz (Universo de Tim Borton); DNA (Gala); Márcio Rodrigues (Atuação 2017); Passart Dance (“Impressões”).
V.        Artes Visuais – Denise Campinho (Reprocesso); Marisa Viscovini (O Eu e a Forma); Paulo Mendes Faria e Victor Lemos (Diálogos); Profissão Artista (Mostra coletiva de artes).
VI.       Literatura – Flávio Menna Barreto e Eliane Marchesini (Traços de Koeller); José Luiz de Mendonça Costa (Petrópolis na História); Luíz Boralli (A hisória do Quitandinha); Zeferino Gabriel (O Ser total).      
VII.      Comunicação – Acontece em Petrópolis; Cordas e Música; Petrópolis em Cena (Jornal); TV Cifras.
VIII.     Audiovisual – Bruno Gonçalves (Genesis); Gregori Bastos (Na Master); IX Mostra Audiovisual do Colégio D. Pedro; Ricardo Braun (Zikomo Zambia).
IX.       Produção Cultural – Escola de dança Analu Muniz (Produção do Universo de Tim Burton); Mônica Valverde produções; Produção do Dançar por Dançar; 3 cabeças produções.
X.        Categoria Especial – Congregação Mariana (O Milagre do calvário); Dançar por dançar; Joãozinho do Cavaco (50 anos); Museu do Artesanato.
XI.       Notório Reconhecimento – Gerson Valle
JANELA PARA A SAUDADE – Luis Carlos Duvanel; Leda Nascimento; Padre Jac; Valdir Mariano; Roberto Francisco; Natajsha Kreisher; Glorinha Rattes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário